O QUERO ME FORMAR

Resposta para suas perguntas

O ENCCEJA

Resposta para suas perguntas

O participante pode escolher no sistema em quais as áreas de conhecimento deseja se inscrever para o ENCCEJA, e deve selecionar entre aquelas nas quais ainda não tenha obtido nota mínima em edições anteriores do exame. Caso o participante tenha atingido as notas mínimas em alguma área de conhecimento nas edições do ENCCEJA Nacional em 2017 e 2018, o sistema de inscrição desabilitará essas opções.

Atenção! A senha deverá ser anotada em local seguro. Ela será solicitada para:

a) Acompanhar a inscrição na Página do Participante.

b) Consultar e imprimir o Cartão de Confirmação da Inscrição.

c) Obter os resultados individuais via internet.

Também não será permitido ingressar na sala de provas com óculos escuros e artigos de chapelaria, como boné, chapéu, viseira, gorro ou similares.

Todos os participantes deverão guardar antes de entrar na sala de provas, em envelope porta-objetos, o telefone celular e quaisquer outros equipamentos eletrônicos desligados, além de outros pertences não permitidos. O envelope porta-objetos, lacrado e identificado, deverá ser mantido debaixo da carteira desde o ingresso na sala de provas até a saída definitiva do local de provas em cada turno do Exame.

– Prestar, em qualquer documento ou no sistema de inscrição, declaração falsa ou inexata.

– Perturbar, de qualquer modo, a ordem no local de aplicação das provas.

– Comunicar-se verbalmente, por escrito ou por qualquer outra forma, com qualquer pessoa que não seja o aplicador ou o fiscal, pela manhã, após as 9h, e a tarde, após as 15h30 (horário de Brasília-DF).

– Utilizar, ou tentar utilizar, meio fraudulento em benefício próprio ou de terceiros em qualquer etapa do Exame.

– Utilizar livros, notas, papéis ou impressos durante a aplicação do Exame.

– Ausentar-se da sala de provas, pela manhã, após as 9h, e à tarde, após as 15h30 (horário de Brasília-DF), sem o acompanhamento de um fiscal.

– Ausentar-se da sala de provas, em definitivo, antes de decorrida 1h do início das provas, em cada turno em que estiver inscrito para realizar o Exame.

– Não entregar ao aplicador, ao terminar as provas, o Caderno de Questões, o Cartão-Resposta e a Folha de Redação.

– Realizar anotações no Caderno de Questões, no Cartão-Resposta, na Folha de Redação e/ou nos demais documentos do Exame, antes de autorizado o início das provas pelo aplicador.

– Recusar-se a entregar ao aplicador o Caderno de Questões, o Cartão-Resposta e a Folha de Redação após decorridas 4h, pela manhã e 5h à tarde, salvo nas salas com tempo adicional.

– Descumprir as orientações da equipe de aplicação, as regras contidas no edital, na capa do Caderno de Questões e nos Cartões-Resposta durante a realização do Exame.

– Violar quaisquer das vedações constantes do edital.

– Iniciar as provas pela manhã, antes das 9h, e à tarde, antes das 15h30 (horário de Brasília-DF), e sem a autorização do aplicador.

– Não permitir que o lanche seja vistoriado pelo aplicador.

– Não permitir que os artigos religiosos, como burca, quipá e outros, sejam revistados pelo Coordenador.

– Portar, ao ingressar na sala de provas, lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borrachas, réguas, corretivos, livros, manuais, impressos, anotações e quaisquer dispositivos eletrônicos, como: wearable tech, máquinas calculadoras, agendas eletrônicas e/ou similares, telefones celulares, smartphones, tablets, ipods®, gravadores, pen drive, mp3 e/ou similar, relógio, alarmes, chaves com alarme ou com qualquer outro componente eletrônico, fones de ouvido e/ou qualquer transmissor, gravador e/ou receptor de dados, imagens, vídeos e mensagens.

– Usar óculos escuros e/ou artigos de chapelaria (boné, chapéu, viseira, gorro ou qualquer acessório que cubra os cabelos ou as orelhas).

– Não permitir que os materiais próprios, como máquina Perkins, reglete, punção, sorobã ou cubaritmo, caneta de ponta grossa, assinador, tiposcópio, óculos especiais, lupa, telelupa, luminária e/ou tábuas de apoio, sejam revistados pelo aplicador.

– Portar armas de qualquer espécie, exceto para os casos previstos no art. 6º da Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003.

– Receber, de qualquer pessoa, informações referentes ao conteúdo das provas.

– Realizar anotações em outros objetos ou qualquer documento que não seja o Cartão-Resposta, o Caderno de Questões e a Folha de Redação.

– Permanecer no local de provas sem documento de identificação válido.

– Utilizar qualquer dispositivo eletrônico no local de provas, entendido como as dependências físicas onde será realizado o Exame.

– Ingressar na sala de provas com o telefone celular e/ou quaisquer outros equipamentos eletrônicos fora do envelope porta-objetos fornecido pelo aplicador.

– Não manter, debaixo da carteira o envelope porta-objetos, lacrado e identificado, desde o ingresso até a saída definitiva da sala provas.

– Não manter aparelhos eletrônicos, como celular e tablet, desligados no envelope porta-objetos, desde o ingresso na sala de provas até a saída definitiva do local de provas (Se o aparelho eletrônico, ainda que dentro do envelope porta-objetos, emitir qualquer tipo de som, como toque ou alarme, o participante será eliminado do Exame).

O participante que não comparecer para a realização das provas de todas as áreas do conhecimento em que se inscrever para o ENCCEJA Nacional e quiser realizar uma nova inscrição no ENCCEJA Nacional do ano seguinte, deverá justificar sua ausência no sistema de inscrição do próximo ano.

A justificativa deverá ser realizada em sistema próprio, mediante a inserção de documentação comprobatória que justifique a ausência no Exame. Não será aceita declaração emitida pelo próprio participante, pais e/ou responsáveis.

Caso o participante não justifique a sua ausência deverá ressarcir ao Inep o valor a ser divulgado no ano seguinte, mediante Guia de Recolhimento da União Cobrança (GRU), no endereço enccejanacional.inep.gov.br/encceja.

As marcações das respostas contidas no Cartão-Resposta são processadas por leitura óptica, para que se proceda à correção. O cálculo das notas nas provas objetivas tem como base a Teoria de Resposta ao Item (TRI).

O desempenho do participante na prova objetiva, calculado com base na TRI, será quantificado em cada prova numa escala de proficiência com média 100 (cem) e desvio-padrão de 20 (vinte) pontos. A nota global da redação varia de 0 (zero) a 10 (dez).

O texto da Folha de Redação será corrigido por dois corretores de forma independente, sem que um conheça a nota atribuída pelo outro. Caso haja discrepância de 4 (quatro) pontos ou mais no total dos pontos atribuídos às competências, haverá recurso de ofício e a redação passará por uma terceira correção. A pontuação do terceiro corretor será soberana sobre as demais.

No caso em que a discrepância das notas entre os dois corretores for inferior a 4,0 (quatro) pontos, prevalecerá a média das duas notas atribuídas. A redação que não atender à proposta solicitada, no que diz respeito ao tema e à tipologia textual, será considerada “Fuga ao tema/não atendimento à tipologia textual”.

A Folha de Redação sem texto escrito e a redação com até 4 (quatro) linhas, qualquer que seja o conteúdo, serão consideradas “Em Branco”. A Folha de Redação com texto fora do espaço delimitado, impropérios, desenhos, outras formas propositais de anulação e/ou rasuras, será considerada “Anulada”. Nesses casos, será atribuída nota zero à redação.

Serão corrigidas somente as redações transcritas para a Folha de Redação e as respostas efetivamente marcadas no Cartão-Resposta sem emendas ou rasuras, com caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente, de acordo com as instruções apresentadas, sob pena da impossibilidade de leitura óptica do Cartão-Resposta e da Folha de Redação. Os rascunhos e as marcações assinaladas nos Cadernos de Questões não serão corrigidos.

O participante poderá ter acesso aos seus resultados individuais, em data a ser divulgada posteriormente, mediante inserção do número do CPF e da senha, no endereço enccejanacional.inep.gov.br/encceja.

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados no endereço portal.inep.gov.br, até o 10º dia útil seguinte ao dia de realização do Exame.

O Inep manterá em sua base de dados os registros de todos os resultados individuais dos participantes do Exame e os disponibilizará às secretarias estaduais de educação ou aos institutos federais de educação, ciência e tecnologia que aderiram ao ENCCEJA Nacional para possibilitar o processo de Certificação.

A utilização dos resultados individuais do Encceja Nacional para fins de Certificação, seleção, classificação ou premiação não é de responsabilidade do Inep, mas da instituição certificadora indicada pelo participante.

Cada prova objetiva do ENCCEJA tem trinta questões objetivas e a nota é calculada com base na Teoria de Resposta ao Item (TRI), portanto, a média não é exatamente proporcional à quantidade de acertos porque as perguntas têm grau de dificuldade diferente. O participante será considerado habilitado se atingir o mínimo de 100 (cem) pontos em cada uma das áreas de conhecimento do Encceja e obtiver nota igual ou superior a 5,0 (cinco) pontos na prova de redação, que varia de 0 (zero) a 10 (dez).
Sim, o processo de Certificação exige nota mínima em todas as provas. Mas é possível obter declaração parcial de proficiência nas provas em que obtiver nota suficiente.
O Exame é aplicado pelo Inep, mas a emissão do certificado e declaração de proficiência é responsabilidade das Secretarias Estaduais de Educação e Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, que firmam Termo de Adesão ao ENCCEJA. O participante escolhe a instituição certificadora durante a inscrição

No momento da inscrição o participante escolherá a instituição que emitirá seu certificado, caso obtenha nota suficiente nas provas, a partir de uma lista apresentada pelo Inep. É importante escolher uma instituição certificadora que lhe seja de fácil acesso, para viabilizar o atendimento presencial quando necessário.

O Inep disponibilizará os resultados individuais dos participantes às instituições certificadoras para possibilitar o processo de Certificação. É responsabilidade delas o uso dos resultados do Exame e a emissão dos documentos necessários para a Certificação de Conclusão do Ensino Fundamental ou do Ensino Médio e a emissão da Declaração Parcial de Proficiência aos participantes.

Não. O ENCCEJA é focado apenas na obtenção do diploma do ensino fundamental ou ensino médio. Para ingressar na universidade, é necessário fazer o vestibular da própria instituição de ensino superior. O Enem, por exemplo, é o exame para quem quer conquistar uma vaga nas melhores universidades federais do país.

 

Sim. O ENCCEJA é o meio oficial, reconhecido pelo Ministério da Educação, para obtenção de diplomas de ensino fundamental e médio para quem não terminou a educação básica na idade escolar adequada. Aqueles que conseguem a pontuação necessária para garantir a certificação, têm um diploma válido em todo país.

 

Sim. Devido ao exame do ENCCEJA ser dividido por áreas do conhecimento, se o participante não garantir a nota necessária em alguma das competências, ele poderá refazer no ano seguinte apenas a prova da área na qual ele não atingiu a nota mínima.

 

A inscrição do ENCCEJA Exterior é feita integralmente online. No ato da inscrição é necessário informar o número do CPF. Se o candidato tiver se inscrito nas edições anteriores, vai precisar informar também o número do passaporte utilizado.
O Inep irá enviar os certificados ou declarações de proficiência para o Ministério das Relações Exteriores (MRE). Esse órgão encaminhará o documento às Embaixadas ou Consulados do Brasil em cada país. Os participantes devem solicitar o certificado nas Embaixadas e Consulados.
PPL é uma sigla que significa Pessoas Privadas de Liberdade. O Encceja PPL é a modalidade do exame voltada para detentos em unidade prisional ou jovens sob medida socioeducativa. O processo, nesse caso, precisa ser mediado por um Responsável Pedagógico da unidade em que a pessoa se encontra.
O ENCCEJA é de graça. A exceção fica para aqueles que se inscreverem no ano vigente e precisarão fazer novamente a prova no próximo ano: se faltarem a todas as provas sem justificar a ausência, vão precisar pagar uma taxa.
Declaração parcial de proficiência: também emitido pela instituição certificadora escolhida na inscrição, essa declaração é expedida quando o participante consegue a nota mínima em uma ou mais provas, mas não em todas.

 

Para solicitar o seu certificado ou declaração o candidato deverá acessar o site: suap.ifsp.edu.br e clicar em “Solicitação de Certificado ENEM/ENCCEJA”. A Solicitação não pode ser feita via smartphone, está disponível apenas pelo computador.

No ensino fundamental, pode solicitar a declaração parcial de proficiência quem conseguiu, pelo menos, 100 pontos em língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes e/ou educação física. O participante também precisa ter alcançado nota 5 ou superior em redação, na mesma edição do ENCCEJA.